Portugal evoluído.

No dia 1 de Janeiro de 2006 a SIC fez uma interessante retrospectiva a Portugal, falou principalmente das comunicações e das implicações que essas tiveram na nossa sociedade.

Concordo plenamente que em 1990 a maior parte da nossa população vivesse no campo, sobrevivendo das suas produções agrícolas e da industria pouco desenvolvida ligada maioritariamente a têxteis, lacticínios e matérias primas, mas discordo em muito da imagem dada pelo chamado boom tecnológico dados nos últimos anos, em que se diz entre linhas que Portugal é um pais desenvolvido por termos banda larga por quase todo o pais e 9.9 milhões de telemóveis para 10 milhos de habitantes.

É verdade que estas tecnologias tenham contribuído significativamente para a evolução do pais, mas não significa que “só” por isto se chame a Portugal um pais desenvolvido. Felizmente o Sócrates tem algumas ideias que eu aprecio, principalmente a aposta nas tecnologias de informação, mas os lobbies a isto ligados não nos deixam evoluir. Sinteticamente quero dizer com isto, que por exemplo, o projecto oeste digital esta tão atrasado que de repente lançaram um concurso para o desenvolvimento de uma plataforma de help desk com apenas um mês, ou seja, direccionadíssimo para apenas grandes empresas como a siemens o poderem agarrar (vi uma coisa parecida numa apresentação da siemens em évora) não dando qualquer hipótese a pequenas e medias empresas, ou escolas, para desenvolverem soluções em open source, o que por acaso ate se faz aqui ao lado em Espanha.

Outro exemplo seria, para desenvolver a agricultura, porque não apostar em sistemas de rega baseados em GNU/Linux, ou sistemas de detecção de fogos?

Para Portugal ser evoluído, primeiro tem que deixar falar quem realmente sabe do assunto e não meter engenheiros não sei de que a tratar de não sei de quantos, deixar o chico-espertismo e as grandes soluções empresariais (micro$), e apostar naquilo que realmente tem e lhe dá futuro.

Deixe uma resposta

3 − one =