A Globalização e as TI’s

27 Junho 2006 Por Adriano Afonso

“A busca incessante pela informação, cada vez mais detalhada e aglomerada, criou necessidades e preocupações a que as tecnologias (na década de 90) não poderiam responder. Esta pressão obrigou ao seu desenvolvimento acelerado, e como consequência evoluíram também termos (comunicações para telecomunicações) e tecnologias, como o acesso à internet e o aparecimento e rápida massificação dos telemóveis. Por seu lado, em pleno século XXI com o desenvolvimento da computação móvel e das novas tecnologias “nómadas” (que incluem gadgets[1] como laptops, palms, telemóveis), o que está em voga é a fase da computação ubíqua[2] , pervasiva e senciente[3] , com o foco na mobilidade.

Esta abertura, disponibilizada pela junção de todos estes meios – internet, telefones, telemóveis – alargou os horizontes de todos as empresas, organizações e entidades e, de repente, assistiu-se a uma explosão de transferência de informação (ex BBS).

Indiscutivelmente, hoje em dia, a necessidade de informação actualizada quase em tempo real é um factor crucial para o desempenho de empresas de topo e multinacionais, factor que só pode ser suportado por tecnologias e sistemas de informação que conseguem retirar dados, transformá-los, tratá-los e disponibilizá-los a partir de grandes bases de dados (ie, imagine-se a base de dados do Modelo e Continente juntas, só num dia).

Da mesma forma, há muitos dados na internet, pelo que só uma análise hábil e uma filtragem de conteúdos eficaz podem ajudar a transformar meros dados em informação. Aos dois processos acima descritos é dado o nome de KD – Knowledge Discovery, um processo que permite transformar meros dados em conhecimento. Mesmo que este seja em pequena escala, é uma base para o sucesso.

As principais consequências da globalização são a integração e a interdependência económica cada vez maiores entre países, regiões e continentes. Hoje a economia mundial está “nas mãos” das grandes multinacionais e de empresas transnacionais. Outro efeito da globalização é o aumento da concorrência entre empresas de dimensão nacional e as de dimensão internacional.

Por fim, auto-estradas da informação que são representadas, na realidade, por redes e pela internet são um paralelo da Globalização, permitindo às referências comunicar e transaccionar informação e conhecimento, que deve ser protegido, regulamentado e tratado pela legislação.”

in Trabalho de Legislação nas Novas Tecnologias, 4º ano, ESAD (versão pdf)


[1] Dispositivos com uma utilidade especifica, no campo tecnológico
[2] Dom de estar ao mesmo tempo em vários lugares; omnipresença
[3] Que tem sensações; sensível